Nossa História

História da Igreja. Aqui você encontrará um pouco mais de informação e conhecimento a respeito da história da Igreja Assembléia de Deus CIADSETA/CGADB Palmas Centro no Mundo, no Brasil.

História da Assembléia de Deus no Mundo

A Assembléia de Deus é a maior denominação pentecostal do mundo com aproximadamente 52,5 milhões de membros. O país com o maior número de membros é o Brasil com 8,4 milhões de membros (só 3,6 milhões são associados com a sede dos EUA e o World Assemblies of God Fellowship).

Tradicionalmente reconhece-se o começo do movimento pentecostal contemporâneo como tendo início no ano 1906 em Los Angeles, nos Estados Unidos, na Rua Azuza, onde houve um grande avivamento caracterizado, principalmente, pelo “batismo com o Espírito Santo” evidenciado pelos dons do Espírito (glossolalia, curas milagrosas, profecias, interpretação de línguas e discernimento de espíritos).

Devido à projeção que ganhou na mídia, o avivamento na Rua Azuza rapidamente cresceu e, subitamente, pessoas de todos os lugares do mundo foram conhecer o movimento. No começo, as reuniões na Rua Azuza aconteciam informalmente, eram apenas alguns fiéis que se reuniam em um velho galpão para orar e compartilhar suas experiências, liderados por William Seymour (1870-1922). Rapidamente, grupos semelhantes foram formados em muitos lugares dos EUA, mas, com o rápido crescimento do movimento, o nível de organização também cresceu até o grupo se denominar Missão da Fé Apostólica da Rua Azuza. Alguns fiéis não concordaram com a denominação do grupo.

Surgiram grupos independentes que emergiram em denominações, como as Assembléias de Deus. Também algumas denominações já estabelecidas adotaram doutrinas e práticas pentecostais, como é o caso da Igreja de Deus em Cristo.

 

Portugal

Em Portugal, a história desta denominação pentecostal é contada a partir do ano de 1913. Foram os missionários portugueses emigrados do Brasil, José Plácido da Costa (1913) e José de Matos Caravela (1921), que deram início às ações que resultaram na fundação das Assembléias de Deus em Portugal.

A primeira igreja Assembléia de Deus em Portugal foi fundada na cidade de Portimão, em 1924, pelo missionário José de Matos, também responsável pela fundação das igrejas do Algarve, Santarém e Alcanhões. A partir desse ano, com a ajuda de missionários suecos e o esforço de obreiros portugueses, foram estabelecidas diversas outras igrejas em várias cidades, como: Porto, em 1930, com a intervenção do missionário sueco Daniel Berg; Évora, em 1932, pela ação da evangelista Isabel Guerreiro; e Lisboa, em 1934, com a ajuda do missionário Jack Hardstedt.

Da ação missionária das Assembléias de Deus em Portugal deu-se a expansão da igreja aos territórios ultramarinos, a exemplo de: Angola, Guiné, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Timor Leste; os quais posteriormente tornaram-se nações independentes, mas mantiveram suas igrejas Assembléias de Deus nacionais em fraterna relação com as co-irmãs portuguesas.

Em Portugal o ramo principal é a Convenção das Assembléias de Deus em Portugal, com quase 400 igrejas, a maior denominação protestante no país. Além da CADP, existem outras denominações organizadas em Portugal, originárias de imigrantes brasileiros ou cismas da CADP, que adotam o mesmo nome, como a Assembléia de Deus Missionária; Assembléia de Deus Universal; Convenção Nacional das Assembléias de Deus; Igreja de Nova Vida – Assembléia de Deus da Amadora.

Estados Unidos

Nos Estados Unidos, surgiram várias congregações pentecostais independentes, desde o avivamento da Azuza St., em 1906. Buscando unidade, comunhão entre si, trabalho missionário e organização legal, alguns líderes convocaram uma Convenção em Hot Springs, Arkansas, em 1914. Como resultado, houve a adesão de quase 500 ministros e a criação do General Council of the Assemblies of God (Concílio Geral das Assembléias de Deus), mais tarde sediado em Springfield (Missouri). Essa igreja possui, hoje, cerca de dois milhões de membros e envia missionários a vários países do mundo. John Ashcroft, procurador-geral dos EUA durante o primeiro mandado de George W. Bush é membro dessa denominação.

As Assemblies of God apresentam algumas diferenças de sua co-irmã brasileira: no tocante à administração, não existe o sistema de ministérios; cada igreja local é autônoma e não é subordinada a nenhuma outra entidade, mas voluntariamente agrupam-se em presbitérios regionais, onde há igualdade entre todos e contam com a participação de representantes leigos. A congregação local entrevista e contrata o pastor, que é examinado e ordenado pelo Concílio Geral.

Grã-Bretanha e Irlanda

Organizada em 1924, a Assemblies of God in Great Britain and Ireland cresceu sob a influência do pastor Donald Gee. Reúne hoje cerca de 600 igrejas locais e possui uma rede de missionários atuando em vários continentes. Uma característica da AGGBI é a prática da Santa Ceia semanalmente.

Existem ainda Assembléias de Deus compostas por imigrantes caribenhos e brasileiros, cujas igrejas não possuem relações com a AGGBI.

Culto

Os cultos das Assembléias de Deus se caracterizam por orações, cânticos, testemunhos e pregações, em que muitas vezes ocorrem manifestações dos chamados dons espirituais, como profecias e o culto em línguas.

Críticas

A Assembléia de Deus – a exemplo de toda entidade que cresce e conquista espaços no emaranhado da organização social – sofre críticas, tanto por parte de outras denominações religiosas quanto por setores não-religiosos da sociedade civil. O rápido crescimento da igreja tem estimulado diversas produções intelectuais de pesquisadores dos fenômenos sociológicos e antropológicos contemporâneos; ao mesmo tempo em que já gerou apaixonadas controvérsias e discussões, no campo puramente ideológico.

História da Assembléia de Deus no Brasil

“[…] Pouco tempo depois de Gunnar Vingren participar de uma convenção de igrejas batistas em Chicago, essas igrejas que aceitavam o Movimento Pentecostal, ele conheceu outro jovem sueco que se chamava Daniel Berg. Esse jovem também fora batizado com o Espírito Santo.

Após uma ampla troca de informações, experiências e idéias, Daniel Berg e Gunnar Vingren descobriram que Deus os estavam guiando numa mesma direção, isto é, o Senhor desejava enviá-los com a mensagem do Evangelho à terras distantes, mas nenhum dos dois sabia exatamente para onde seriam enviados.

Primeiro Templo Assembléia de Deus no Brasil

Primeiro Templo Assembléia de Deus no Brasil

Algum tempo depois, Daniel Berg foi visitar o pastor Vingren em South Bend, Indiana (EUA). Durante aquela visita, quando participavam de uma reunião de oração, o Senhor lhes falou através de uma mensagem profética que eles deveriam partir para pregar o Evangelho e as bênçãos do Avivamento Pentecostal. O lugar tinha sido mencionado na profecia: Pará. Nenhum dos presentes conhecia aquela localidade. Após a oração, os dois jovens foram a uma biblioteca à procura de um mapa que lhes indicasse onde o Pará estava localizado. Foi quando descobriram que se tratava de um estado do norte do Brasil”. (Adaptado de “História das Assembléias de Deus, Emílio Conde – CPAD”).

No início do século XX, apesar da presença de imigrantes alemães e suíços de origem protestante e do valoroso trabalho de missionários de igrejas evangélicas tradicionais, nosso país era ainda quase que totalmente católico.

A origem das Assembléias de Deus no Brasil está no fogo do reavivamento que varreu o mundo por volta de 1900, início do século XX, especialmente na América do Norte.

Os participantes deste reavivamento foram cheios do Espírito Santo da mesma forma que os discípulos e os seguidores de Jesus durante a festa Judaica do Pentecostes, no início da Igreja Primitiva (Atos 2). Assim, eles foram chamados de “pentecostais”.

Exatamente como os crentes que estavam no Cenáculo, os precursores do reavivamento do século 20 falaram em outras línguas, que não as suas originais, quando receberam o batismo no Espírito Santo. Outras manifestações sobrenaturais, tais como profecia, interpretação de línguas, conversões e curas, também aconteceram.

 

Segundo Templo Assembléia de Deus no Brasil Quando Daniel Berg e Gunnar Vingren chegaram a Belém do Pará, em 19 de novembro de 1910, ninguém poderia imaginar que aqueles dois jovens suecos estavam para iniciar um movimento que alteraria profundamente o perfil religioso, e até social, do Brasil por meio da pregação de Jesus Cristo como o único e suficiente Salvador da humanidade e a atualidade do Batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais. As igrejas existentes na época – Batista de Belém do Pará, Presbiteriana, Anglicana e Metodista – ficaram bastante incomodadas com a nova doutrina dos missionários, principalmente por causa de alguns irmãos que se mostravam abertos ao ensino pentecostal. A irmã Celina de Albuquerque, na madrugada do dia 18 de junho de 1911, foi a primeira crente a receber o batismo no Espírito Santo, o que não demorou a ocorrer também com outros irmãos.

 

O clima ficou tenso naquela comunidade, pois um número cada vez maior de membros curiosos visitava a residência de Berg e Vingren, onde realizavam reuniões de oração. Resultado: eles e mais dezenove irmãos acabaram sendo desligados da Igreja Batista. Convictos e resolvidos a se organizar, fundaram a Missão de Fé Apostólica em 18 de junho de 1911, que mais tarde, em 1918, ficou conhecida como Assembléia de Deus.

Em poucas décadas, a Assembléia de Deus, a partir de Belém do Pará, onde nasceu, começou a penetrar em todas as vilas e cidades até alcançar os grandes centros urbanos como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre.

Gunnar Vingren e Família

Gunnar Vingren e Família

Em virtude de seu fenomenal crescimento, os pentecostais começaram a fazer diferença no cenário religioso brasileiro. De repente, o clero católico despertou para uma possibilidade jamais imaginada: o Brasil poderia vir a tornar-se, no futuro, uma nação protestante.

Daniel Berg e Família

Daniel Berg e Família

 

Fontes:

CPAD – Casa Publicadora das Assembléias de Deus (www.cpad.com.br)

AD Osasco Adaptado de Wikipedia (www.wikipedia.org.br)

 

HISTÓRIA DA CIADSETA, a minúscula semente de mostarda que se transformou numa grande árvore. 

A CIADSETA é fruto do glorioso movimento pentecostal que começou no Norte do Brasil a partir de 1910, e as suas raízes se estenderam pelo solo brasileiro. Por isso, sua história é emocionante e repleta de episódios dramáticos que nos ensinam e estimulam. Muitas foram as vidas daqueles que se dedicaram ao serviço do senhor. Muitos foram os esforços empreendidos para a propagação do evangelho de cristo. Muitas foram as vitórias alcançadas. E como seria impossível escrever diacronicamente, amiúde, todos os vitoriosos passos dessa Convenção, destacaremos e relembraremos a partir de agora apenas a importante trajetória de grandes ceifeiros, varões valorosos, cheio de muita fé e graça, que lançaram as primeiras sementes do serviço de evangelização dos rios Tocantins e Araguaia.

Seria impossível discorrermos sobre a nossa história sem relembrarmos a importante contribuição do grande Apóstolo da fé, pastor João Jonas.  De origem Hungra, era verdadeiramente um homem de Deus. A sua intimidade com Ele era tão grande, que as pessoas não conseguiam olhar-lo por muito tempo, tamanha a glória divina. Nunca pensava em si mesmo e nas suas próprias comodidades, era um ceifeiro, semeava tanto na tempestade como na bonança, sacrificava a sua vida, saúde, tempo e força. Era um desbravador, amava a missão de abrir novos trabalhos, de ganhar e discipular o primeiro crente e preparar a terra para a chegada de outros ceifeiros. Juntamente com um grande amigo e companheiro, pastor Israel Oliveira, dedicou-se inicialmente a evangelização dos povoados ao sertão do Sul do Maranhão, Piauí e ao Norte de Goiás. Os milagres acompanhavam de perto esses destemidos desbravadores que ao verem as multidões enfermas e famintas moviam-se de íntima compaixão, de tal modo que de quase em nada diferiam dos dias da Igreja Primitiva. A principal preocupação era mesmo ganhar almas para Jesus. O lugar não tinha tamanha importância para eles, desde que houvesse pessoas que ouvissem a palavra de Deus. Estava convicto que aquelas sementes transformar-se-iam em frutos e aqueles frutos, por sua vez, alimentariam muitos e muitos famintos da palavra de Deus. Orientado pelo espírito santo entendeu que o seu tempo nas regiões Tocantins e Araguaia havia terminado e partiria para outra região onde continuaria a semear. Mas a pequena plantação, a quem deveria entregar? O senhor da seara já havia providenciado o próximo ceifeiro.

Ele estava no exército Brasileiro, mais precisamente na quarta companhia independente da fronteira do Amapá. Era 1944, quando o soldado, Armando Chaves Cohen, recebeu a convocação do grande general e Senhor da seara, para assumir posição de honra no Exército Celestial. Sua missão seria a evangelização dos rios Tocantins e Araguaia. Atendendo ao chamado, o soldado Armando Chaves Cohen, dá baixa em seu serviço militar e é consagrado a evangelista. No dia 8 de abril de 1947, por determinação do missionário Nels Nelson e com apoio do ministério da Assembleia de Deus em Belém, o pastor Armando Chaves Cohen chegou com a sua família à Carolina Maranhão, a bordo de um avião Aerovias Brasil. Mais sementes foram plantadas e as sementes lançadas, foram produzindo frutos e a seara foi crescendo. O ceifeiro, preocupado com a boa manutenção da plantação, na orientação do senhor do campo, elaborou o projeto de fundação do Serviço de Evangelização dos rios Tocantins e Araguaia, SETA, que foi aprovada pela Convenção Paraense em 15 de outubro de 1952.  Com essa decisão, os obreiros das regiões Tocantins e Araguaia passaram a ter condições favoráveis para dar uma continuidade melhor ao trabalho e aumentar a extensão do mesmo. Foram muitas as dificuldades, as barreiras, houve momentos de tristezas e de dores. Momentos em que o ceifeiro regou as sementes com choros e muitas vezes com dor e desalento. Em um naufrágio, o pastor Cohen perdeu o filho Jaime de 9 anos de idade. Imaginem a aflição de um pai que não pôde sepultar o próprio filho! Todos os esforços do pastor Jairo Saldanha de Oliveira, hábil nadador, foram frustrados, e o corpinho frágil de Jaime jamais apareceu. Que momento difícil! Muitos, vendo o sofrimento do ceifeiro, tentaram, em vão, persuadi-lo a abandonar a seara e ir buscar campos fáceis e mais longe daquela triste lembrança. Mas apesar da dor, o ceifeiro continuava firme e convicto em sua chamada. De onde vinha tamanha força? Vinha do senhor da seara que dizia: “não to mandei eu? Sê forte e corajoso, não temas nem te espantes porque, eu, teu Deus, sou contigo por onde quer que andares”.

Firmado nessa promessa, o homem de Deus prosseguiu em sua missão arrebatando almas do inferno e conduzindo-as a Cristo. Batismos com o espírito santo e muitas curas divinas eram realizados pelo senhor através deste fiel ceifeiro. A obra que florescia, cruzando as fronteiras, resistia ao tempo e aos embates da perseguição. Era o SETA que nascia. Com uma visão geograficamente grande, a bandeira do SETA já tremulava no Sul do Maranhão, Sul do Pará e Norte do Mato Grosso, como resultado de um trabalho sincero, realizado por um ceifeiro fiel que nos deixa exemplo digno de ser imitado, pastor Armando Chaves Cohen, o Apóstolo de Cristo.

Como resultado do crescimento da obra de Deus e para uma administração mais precisa, no mês de julho de 1953 foi realizada a primeira convenção regional do serviço de evangelização dos rios Tocantins e Araguaia, SETA, e foi eleito como primeiro presidente, o pastor Francisco Pereira do Nascimento. As igrejas do SETA naquela época eram Carolina e Imperatriz no Maranhão, Porto Nacional e Tocantinópolis em Goiás, todas as margens dos rios Tocantins. Araguaina no sertão Goiano, Sucupira do Norte, Grajaú, Amarante e São Pedro dos crentes no sertão maranhense, 9 igrejas ao todo. A Assembleia de Deus em Carolina permaneceu como Sede da Convenção regional do SETA até 1957 quando o pastor Luiz de França Moreira assumiu a sua presidência. Um semeador jovem que possuía uma boa saúde demonstrava ter conhecimento secular de bom nível e o mais importante, não possuía nenhuma marca de avareza, requisitos indispensáveis a um exímio ceifeiro do senhor. Em 27 anos sob os seus cuidados, o serviço de evangelização dos rios Tocantins e Araguaia, SETA, teve um grande avanço recebendo a sua autonomia definitiva por intermédio do pastor Alcebíades Pereira de Vasconcellos. O desejo de alcançar almas perdidas para Jesus era muito forte em seu coração. Muitos povoados e vilas foram invadidas por semeadores que protagonizaram a plantação de uma numerosa quantidade de sementes por todo o campo onde passavam. Sempre pode contar com a amizade, o dinamismo e a sinceridade de companheiros fieis, como o pastor Francisco Bueno de Freitas e o pastor Tibúcio Vieira de Souza, que como Arão e Hur ladeavam o presidente para encoraja-lo a cuidar de tão grande ceará. Juntos enfrentavam as distâncias. Muitas vezes iam a pé para as reuniões convencionais. Levavam alimento na bagagem e buscavam refúgio à sombra das árvores para prepará-lo e descansar. Não havia conforto, mais o amor pela obra do Senhor superava todas essas dificuldades. Em 15 de julho de 1984, o pastor Luiz de França Moreira foi recolhido ao celeiro celestial deixando uma grande folha de serviços prestados à obra entre nós. E como o senhor sempre tem um homem de Deus à disposição de seu Reino, o pastor Francisco Bueno de Freitas, conhecido popularmente como Fiico, assumiu a presidência da Convenção do SETA, que mais tarde seria chamada de CIADSETA (Conversão Interestadual das Assembléias de Deus do SETA), isso por causa da sua extensão territorial. O que dizer deste ceifeiro? Um homem íntegro que tinha amplos conhecimentos teológicos e científicos; humilde, zeloso em relação a sã doutrina, manteve uma admirável política eclesiástica, cumprindo o que disse o Apóstolo Paulo em Romanos 15 e 20: “E desta maneira me esforcei por anunciar o evangelho, não onde cristo houvera sido nomeado, para não edificar sobre fundamentos alheios”, demonstrando assim, no pouco tempo em que dirigiu esta Convenção, total comprometimento com a causa que abraçou, defendendo o cristianismo autêntico, moldado às formas do constante ensino da palavra de Deus, deixando assim, a sua parcela de contribuição na expansão desta obra que cada dia se tornava mais forte.

Em dezembro de 1987, por ato da Convenção realizado em Redenção do Pará, é eleito Presidente da CIADSETA, o pastor Sebastião de Andrade, um líder estudioso, destacou-se como o primeiro obreiro a fazer um curso de Bacharel em Teologia pelo Seminário Batista Equatorial de Carolina no Maranhão. Em um período de 8 anos, desenvolveu o importante trabalho, deixando assim a sua marca nas páginas da história da CIADSETA.

Em 15 de dezembro de 1995, o pastor Pedro Lima Santos assumiu a Presidência da CIADSETA na AGO realizada em Porto Nacional-TO. No período de sua gestão, dado a expansão geográfica e o grande crescimento do número de obreiros e igrejas, surgiu a necessidade de emancipação das Convenções CIADSETA/PA/MT, COMADESMA e CIMADSETA, criando três novas Convenções independentes e reconhecidas pela CGADB. O Pr. Pedro Lima presidiu a CIADSETA por 18 anos, marcados por uma administração organizada, bem-sucedida e espiritual.

Em 14 de Dezembro de 2013, na AGO realizada em Guaraí-TO é eleito presidente da CIADSETA o Pastor Paulo Martins Neto, que assume a Convenção com propostas de manter a expansão da Instituição, dando apoio irrestrito aos convencionais e suas famílias, bem como fortalecer a comunhão entre os pastores através das reuniões das Áreas de Supervisão.

A CIADSETA é hoje uma Convenção conceituada nacionalmente, tem representatividade ativa junto a CGADB, possui cerca de 228 Igrejas Sedes, e mais de mil pastores e evangelistas.

É a minúscula semente de mostarda plantada e regada que cresceu para ser uma grande árvore, cujos galhos estendem-se ao redor das Regiões Norte, Nordeste, Centro Oeste e Sudeste. Quantos e quantas semeadores e pioneiros que não poderíamos enumerá-los com exatidão, mas todos estão registrados no rol dos heróis da fé, memória eterna diante do Senhor da Seara. No mundo, há muitas coisas que pessoas sinceras e humildes fazem sem pensar ou imaginar a extensão de influência que seus atos podem ter. Certamente, todos estes pioneiros nunca imaginaram que a simplicidade de suas mensagens, o zelo e dedicação ao trabalho do Senhor nas Aldeias, Vilarejos, Ribeirinhos iria crescer, transformando-se em uma grande convenção. Ao olharmos para este gigantesco trabalho que está entre os maiores do Brasil, devemos louvar ao Senhor, rendendo-lhe a mais terna adoração e ainda assim, pedir lhe graça, no intuito de continuar iluminando a nossa liderança maior, a fim de que esta obra faça avançar o Reino de Deus na terra e que a cada dia, mais ceifeiros se integrem a esta Seara tão grande e que sementes sejam lançadas em brotem, transformando se em árvores frutíferas para que venha saciar a fome de muitos e muitos que ainda não conhecem ao senhor.

Fonte: AD Palmas Centro/Marlucy Vale/Ellen Ruth/Antônio Xavier

História da AD Palmas Centro

A História da Igreja Assembleia de Deus em Palmas, teve início cerca de um ano e três meses após a implantação da Capital. No dia 02 de setembro de 1990, por iniciativa do então Presidente da Convenção CIADSETA, Pastor Sebastião Andrade, deu-se inicio o trabalho de fundação da igreja, liderado pelo evangelista Ederme José e sua esposa, irmã Cleonice Veras.

O Casal Ederme e Cleonice foi autorizado pela convenção CIADSETA para este grande desafio, tendo como incentivo a participação de alguns irmãos, que também eram recém chegados na cidade, entre eles estão: Deonilde Cruz, irmão João Paulino, irmão Celestino e família, e outros.

O primeiro culto foi dirigido na antiga Vila dos Deputados (Arse 14), numa casa cedida pelo deputado Paulinho Bertoldo, tendo apenas o Evangelista Ederme e sua esposa Cleonice presentes.

No segundo culto compareceram 10 pessoas, sendo que uma delas, a jovem Sebastiana, aceitou a Jesus Cristo como Salvador.

Em outubro de 1990, foi celebrada a primeira Santa Ceia, quando cerca de 15 membros participaram. A partir de então, foram chegando vários irmãos de diversas regiões e estados do Brasil, os quais cooperavam na Ceara de Cristo e com isso ia aumentando o trabalho do Senhor.

O Evangelista, Ederme, dava assistência ao trabalho, fazendo evangelismo nas casas, alojamentos e realizando cultos ao ar livre.

Em fevereiro de 1991, por decisão do Presidente da Convenção, Pastor Sebastião Andrade, tomou posse como o primeiro Pastor Presidente da igreja Assembleia de Deus em Palmas Centro, o Pastor Pedro Lima Santos, e sua esposa, missionária, Geralda Lima.

O Pastor Pedro Lima desenvolveu um importante trabalho para Deus. A igreja ganhou um novo impulso na sua expansão e organização. Nesta época, o Pastor Pedro pôde contar com o apoio de vários obreiros, dentre eles estão: Pr. José Gola, Pr. José Leandro, Pb. Ildeu, Pr. Zacaria Alves, Pr. João Pereira (in memórian), Odemar, e outros, os quais auxiliavam a obra de Deus e contribuíam com o seu crescimento.

Na gestão do Pr.Pedro aconteceram vários fatos importantes, como:

  • A formação do Circulo de Oração da igreja, na data de 16 de fevereiro de 1991, tendo sua primeira diretoria formada pelas irmãs: Cleonice Veras (Presidente), Maria das Graças Leandro, Vera Lucia Pereira da Luz, Oneide Maria, Maria Rodrigues e Joana.
  • No dia 23 de fevereiro do 1991 iniciou-se o trabalho da mocidade, tendo como primeira líder a irmã Zaine, que foi auxiliada pela irmã Marta Mazelly.
  • Em 26 de abril de 1991 foi inaugurado o primeiro templo; uma construção provisória, que na época era todo de Madeirite e media 8 metros por 12 de tamanho.
  • Em 14 de Julho de 1991 foi realizado o primeiro batismo nas águas, no córrego brejo comprido (local onde atualmente fica o parque Cesamar). Na ocasião a Igreja ganhou 8 novos membros.

Com o tempo, o trabalho foi crescendo, surgindo com isso a necessidade de abrir as primeiras congregações, sendo a primeira inaugurada na Arse 23, no mês de abril de 1991. Posteriormente foram abertas mais congregações, como a Arse 111, Arno 33, dentre outras.

Em 12 agosto de 1995, por determinação da Convenção CIADSETA, tomou posse como Presidente da AD Palmas Centro, o Pastor Antonio Xavier dos Santos Vale, tendo sido empossado pelo saudoso Pastor, Francisco Bueno de Freitas. O Pastor Xavier veio para consolidar o trabalho, especialmente na área do ensino doutrinário e trabalhos e evangelísticos.

Como marca da gestão do Pastor Antônio Xavier, desde o início, podemos destacar:

  • A criação da CRUZADA EVANGELISTICA UNIDA, responsável pela conversão de centenas de pessoas;
  • A dinamização da Escola Bíblica Dominical, que foi transformada num seminário permanente da família, com distribuição de revistas gratuitamente para os alunos;
  • A Criação do departamento infantil, que se tornou em um dos maiores departamento da igreja;
  • Foi criado também o departamento dos adolescentes, com uma visão de orientação, preparação e edificação espiritual desse público, visando mantê-los firmes nos caminhos do Senhor;
  • O Circulo de Oração se tornou um importante departamento da Igreja, formado por um batalhão de mulheres comprometidas com a Obra de Deus;
  • Implantou-se a AEAD (Academia de Educação da Assembleia de Deus), que oferece curso de Bacharel em Teologia;
  • Com uma visão missionária, criou a Secretaria de Missões, que vem contribuindo com o crescimento da igreja, abrindo projetos missionários e implantando novas congregações, procurando atingir as localidades que ainda não foram alcançadas.
  • Criou também a Escola de Música da Igreja, que oferece aula gratuitamente aos seus alunos. Essa iniciativa resultou na criação da Orquestra Sinfônica Filadélfia, formada por irmãos de todas as faixas etárias da Igreja. Hoje, a Orquestra Filadélfia já se tornou referencia como banda de musica marcial, tendo, inclusive, ficado em segundo lugar no Encontro Nacional de Bandas e Orquestras, realizada em Imperatriz – MA, nos dias 28 a 30 de agosto de 2015.

Atualmente a igreja Assembleia de Deus em Palmas Centro, possui mais de 20 congregações. E o seu crescimento não é somente em números de membros e congregados, mas também em patrimônio, mediante compras e aquisições de terrenos e imóveis, onde foram construídas grandes congregações e casas pastorais; muitas já foram inauguradas, outras estão em construção com obras adiantadas, e brevemente serão inauguradas.

Em 20 de junho de 2004, visando atender melhor os irmãos, foi inaugurado o Templo Sede da AD Palmas Centro, quando o povo deixou de congregar naquele templo pequeno e rústico, passando a cultuar a Deus num ambiente confortável e seguro.

O Templo inaugurado em 2004, contudo, ficou pequeno e a Igreja está prestes a iniciar a construção de uma Obra magnífica. O projeto está pronto, restando tão somente aprovação e liberação por parte da prefeitura para o início das obras. Pedimos oração e contribuição daqueles que amam o Senhor e querem o crescimento de sua Obra. 

O Pastor Xavier vem trabalhando também na formação de discípulos, e a nossa igreja tem se sido um celeiro de novos obreiros, pois, além dos pastores congregacionais, temos vários pastores que estão no campo pastoreando com muito sucesso.

Terminando, por fim, esta breve apresentação da História da AD Palmas Centro, dignificamos glórias a Deus. Pois sabemos que nossa Igreja triunfou sobre as adversidades, se aprovando como verdadeira Igreja do Cordeiro, Jesus Cristo, contra quem as investidas do inferno jamais prevalecerão.

Contudo, todas estas conquistas e avanços, não teriam sido possíveis, caso não houvesse contado com o abnegado e valoroso empenho de dezenas de homens e mulheres de Deus, que doaram o melhor de si para ver o crescimento da obra do Senhor.

Dessa maneira, podemos afirmar que a história da AD Palmas Centro é uma história e lutas e vitórias do povo de Deus! Cada Pastor que por aqui passou, cada obreiro, auxiliares, membros, as irmãs do Circulo de oração, os jovens, os adolescentes, as crianças, os músicos, os porteiros, os zeladores… Enfim, esta História somos nós, que permanecendo aqui fazendo a obra do Senhor, bem como todos aqueles que um dia estiveram aqui e hoje continuam a fazer a Obra do Senhor em outros lugares. Esta Igreja foi e, continuará a ser, um celeiro de verdadeiros servos de Cristo, obreiros fiéis e leais a causa do evangelho. Até o dia em que todos nós estivermos reunidos, eternamente no céu, junto com o nosso amado e querido salvador, Jesus Cristo.

Texto: Antonio Bandeira

Fontes e informações: Arquivo pessoal, Pastor Antônio Xavier; Pr. Ederme Araújo e Cleonice Veras.


Endereço

Q. 604 Sul Alameda 14, 07 - Plano Diretor Sul, Palmas - TO, 77022-030

Entre em Contato

(63) 3214-1630

Formulário de Direito dos Titulares

Siga-nos

Prover ® 2020. Todos os direitos reservados.